O Dubai é um dos sete emirados e a cidade mais populosa dos Emirados Árabes Unidos, com um total de mais de 2 milhões de habitantes. Fica localizado no médio oriente e é uma cidade onde basicamente o impossível não existe. Tem arranha-céus enormes, largas avenidas e muito, mas muito luxo. No início, a economia do Dubai era sustentada através do petróleo e gás natural, mas com o desenvolvimento do emirado, surgiram novas fontes de rendimento que ajudam ao crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), como o setor do imobiliário e da construção, comércio e de serviços financeiros. Com uma economia em crescimento, é possível encontrar frequentemente empresas a recrutar profissionais em diferentes áreas.

O Dubai é provavelmente uma das únicas cidades mais fascinantes devido ao luxo, estilo de vida e às obras de arquitetura simplesmente fantásticas. As ilhas artificiais em forma de palmeira e do desenho do mapa-mundo, o único hotel de 6 estrelas no mundo – o Burj Al Arab, o arranha-céus mais alto do mundo – o Burj Khalifa, e a pista de Ski em pleno deserto – o Ski Dubai, são alguns dos exemplos.

Ao contrário de Portugal, lá não existem impostos. Ou seja, todo o dinheiro que se ganha através do emprego é livre de impostos.  Os produtos vendidos nas lojas não têm taxas, o que torna tudo mais barato. Além de ser um bom destino turístico e de compras, também é ideal para trabalhar.

O clima é quente, no Verão faz um imenso calor e entre Junho e Agosto as temperaturas são excessivas. Nos restantes 9 meses a temperatura é bastante agradável e dá para aproveitar as belíssimas praias.

Menos stress, não que o mercado de trabalho não seja competitivo, mas o ritmo é bastante “árabe”. A pressão não é tanta, sai-se a horas, há mais tempo para se ser criativo e o trabalho está bem distribuído entre membros da equipa, por contraste ao que acontece em Portugal onde há menos emprego mas o mesmo volume de trabalho.

Em Portugal, o trabalho de duas ou três pessoas é feito por uma pessoas apenas.

Não diria que o Dubai seja uma cidade cosmopolita ao nível de metrópoles como Nova Iorque, Londres ou Paris pois a cultura árabe é predominante e a esmagadora maioria da população é de uma zona apenas (Ásia Menor). Mas convive-se com pessoas de todas as nacionalidades, quer do Oriente quer do Ocidente.

Esta pluricultura é interessante não só por conhecermos pessoas diferentes e termos contacto com costumes e culturas diversas, mas também pela variedade gastronómica.

Há milhares de restaurantes no Dubai e quase todos entregam em casa/no escritório/no hotel. Qualquer comida  – libanesa, indiana, francesa, texana, russa, portuguesa – e está geralmente à distância de um clique.

Com o crescimento da Emirates Airlines, o Dubai é cada vez mais um hub mundial em termos de ligações aéreas. E estar situado na ponta do continente asiático significa que, ao mesmo tempo que o Ocidente não está muito longe, sítios exóticos como as Maldivas, o Sri Lanka ou a Tailândia – destinos exorbitantes a partir de Portugal – passam a ser perfeitamente acessíveis quer em termos de preço das viagens quer em termos de tempo de voo. De referir que a costa dos Emirados é banhada pelo mar do Golfo Pérsico, quente e calmo.

É verdade que no Dubai as leis são um pouco mais restritas mas, desde que se respeite a cultura local, a vida não é assim tão diferente da vida num país Europeu. Os Emirados – e em particular o Dubai – são dos países islâmicos mais ocidentalizados. A influência americana é visível nas cadeias de restaurantes, o vestuário é normal , há inúmeras opções de entretenimento, incluindo bares e discotecas. E uma das grandes vantagens é o inglês ser falado em todo o lado.

Trabalhar no Dubai é ter sobretudo, uma experiência internacional no currículo. O crescimento económico do Dubai não só se traduz numa maior oferta de emprego (especialmente em sectores como Hospitality, Turismo e Construção Civil) como também em melhores oportunidades de carreira.

O facto de o Dubai ter bastante riqueza faz com que as empresas tenham mais recursos, e com mais recursos há oportunidades de fazer coisas maiores que os budgets limitados em Portugal não permitem.

Por outro lado, o facto de o Dubai ser tão aberto ao Ocidente faz com que bastantes multinacionais escolham sediar lá os centros de decisão para toda a região do Médio Oriente e Norte de África, o que não só cria mais emprego como aumenta consideravelmente a dimensão do mercado, valorizando a experiência.

Por fim, com uma grande percentagem da população são expatriados que estão lá temporariamente, este é um dos sítios mais privilegiados no mundo para fazer networking. A maioria das oportunidades para avançar na carreira surge através de recomendações e ter uma rede de contactos bem colocada em todos os cantos do mundo abre imensas portas.

Junte-se a tudo isto bons salários e o Dubai pode muito bem ser a cidade perfeita para dar um salto na carreira. 

Juntando a isto também, se se conseguir lidar bem com o facto de sr estar longe de Portugal e da família alargada, o Dubai é um dos melhores sítios para ter filhos.

A cidade está repleta de crianças (as famílias tendem a ser grandes) que brincam despreocupadamente na rua (ou no centro comercial) sem grande necessidade de supervisão paternal constante. Os EAU são um país bastante seguro com índices de criminalidade baixíssimos onde se vêem carros de luxo estacionados de chave na ignição.

As escolas são muito boas e seguem currículos internacionais, os alunos são das mais diversas nacionalidades e culturas o que é ótimo para as crianças.

Ter ajuda em casa também é uma realidade acessível a muitas famílias que conseguem contratar amas a tempo inteiro por um valor bastante simpático.

Tudo isto contribui para que a qualidade de vida para um expatriado ocidental no Dubai seja bastante elevada e pequenos luxos como todos os prédios terem piscina, é a cereja no topo do bolo.

Para passar alguns anos, juntar um pé-de-meia e ganhar experiência internacional, é perfeito.

Anúncios