Não querendo trazer para a discussão de quem é o melhor jogador, compreende-se que um clube esteja disposto a pagar um preço mais alto por um jogador que produz mais golos.

Estamos perante índice de produtividade quando analisamos a relação entre aquilo que é produzido e os meios empregues (mão-de-obra, materiais, energia, etc.). Os fatores tempo e eficiência são duas componentes que potenciam um sistema, uma vez que quanto menor for o tempo levado para obter o resultado pretendido, mais produtivo será o trabalho.

No entanto, os empresários têm todo o interesse em reduzir os custos de modo a obter mais lucro, mesmo o fator salário. Contudo, se um trabalhador lhes der uma mais valia significativa do seu trabalho, eles estão dispostos a aumentá-lo. Assim, é do interesse de todos a formação profissional, pois qualifica o trabalhador para certas e determinadas tarefas.

Verifica-se, por isso, o Estado a pagar em grande medida a formação de pessoas, pois caso fossem os empresários a formar os trabalhadores, eles mais tarde poderiam despedir-se e oferecer os seus préstimos a outra empresa ou até mesmo começar um negócio por conta própria e os empresários ficariam a perder.

Conclui-se, portanto, que a remuneração a oferta de trabalho se verificam em função do valor da sua produtividade marginal.

Bibliografia: Manuel Lopes PORTO, Economia: Um texto introdutório, pag. 215-216

Anúncios